sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Desonestidade

Em tudo venho ostentando a minha tristeza, como se fosse uma glória. Se for, é a única e a maior que tenho.

CV

Quem há de dar-nos valor?
Em tudo nós fracassamos
E em nada nos destacamos,
Nem na tosca arte do amor.

Hoje no portal do Estadão

Falo de um desses homens tão bons que é difícil acreditar que existam mesmo.
http://emais.estadao.com.br/blogs/escreviver/um-bom-sujeito/

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Proeza

Equiparar flores a ti
seria uma proeza
para aqueles poetas antigos
que sabiam lidar com coisas
como magnificência e beleza.

"Sopra no vento", de Bob Dylan

"Quantos caminhos há de um homem percorrer
Antes de se dizer que ele é um homem?
Sim, e quantos mares há de uma pomba branca navegar
Antes de adormecer nas areias?
Sim, e quantas vezes voarão as bolas de canhão
Antes de serem proibidas pra sempre?
A resposta, meu amigo, sopra no vento
A resposta sopra no vento.

Quantos anos há de uma montanha existir
Antes de ser levada pelo mar?
Sim, e quantos anos pode um homem existir
Antes do direito de ser livre?
Sim, e quantas vezes pode um homem virar a cabeça
E fingir que simplesmente não enxerga?
A resposta, meu amigo sopra no vento
A resposta sopra no vento.

Quantas vezes há de um homem erguer os olhos
Antes de poder ver o céu?
Sim, e quantos ouvidos há de um só homem ter
Antes de poder ouvir os gritos?
Sim, e quantas mortes há de haver antes de ele saber
Que gente demais já morreu?
A resposta, meu amigo, sopra no vento
A resposta sopra no vento."

(De Bob Dylan - Letras (1961-1974), tradução de Caetano W. Galindo, Companhia das Letras.)

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

O melhor

A maior inveja que nos causam os poetas é a presumida intimidade com mulheres, centenas, que ao vê-los se põem a dar gritinhos de ai, ai, ai, milhares, e a beijá-los antes, durante e depois de cada um deles.

Bons sujeitos (para Rose Marinho Prado)

Há defuntos que, como certos vivos, são incapazes de matar uma mosca